Radicais Livres e Antioxidantes

 

Começo este artigo com uma explicação sobre a imagem em cima. Sabem do que se trata? 

Antioxidant cartoon

Radicais livres (vermelho) e Antioxidantes (azul mais escuro, direita) 

Vi a imagem faz um tempo e acho que explica tão bem o conceito deles que nunca mais irás esquecer. Pelo menos eu nunca mais esqueci. 

Se pensarmos que, o radical livre tira pedaços da célula saudável percebemos o tirano que ele é. Enquanto que o antioxidante, ele dá dos seus eletrões para que a célula não morra, não adoeça. 

Radicais Livres  

Radicais livres são conhecidos pelo seu efeito oxidativo e por isso chamados também oxidantes. A sua existência é normal em níveis baixos, são moléculas altamente reativas que por terem um número ímpar de eletrões querem tornar-se estáveis. Até as moléculas querem conforto? Parece que sim. Eles formam-se nas reações como por exemplo na produção de Oxigénio e, sem querer entrar muito na parte química mostro-vos a imagem seguinte, onde os radicais livres são as moléculas com sinal de menos no canto superior direito. 

O2

 essa mesmo: 

  O2

  

O porquê de isso acontecer já seria muita química e vamos passar à frente. Na verdade, existe nesta reação outras moléculas em desequilíbrio. 

Normalmente os radicais livres não nos fazem mal pois o corpo sabe como se curar, mas, quando a presença destes aumenta drasticamente acabam por surgir doenças. Radicais livres estão muito associados com o envelhecimento. Causam diminuição de espermatozoides e doenças como cancro, demência, hiperatividade. 

Na verdade, eles não fazem só mal. Eles têm uma importante função para o sistema imunitário e ajudam o fígado a desintoxicar. Radicais livres não são toxinas. Como em tudo, existe na natureza um equilíbrio próprio. 

O que causa o aumento dos Radicais Livres no nosso corpo? Seguindo a reação do oxigênio, onde se criam radicais livres, podemos perceber o quão importante é termos oxigénio de qualidade. Quanto mais poluído o ar que respiramos, mais radicais livres se formam. Estas moléculas instáveis estão muito associadas ao envelhecimento precoce porque os radicais livres também tiram “pedaços” das células da nossa pele. Existe, portanto, uma relação entre Poluição – Envelhecimento. 

Mas, o que podemos fazer? Não controlamos a poluição. Será? Cada um de nós pode fazer um bocado e muitos bocados… 

 Podemos também melhorar o ar nas nossas casas. Como? A natureza deu-nos “ferramentas” e, que nestes dias precisamos a potes. São as plantas. As plantas purificam o ar e há umas particularmente especiais nessa tarefa. São elas: Feno, árvore da borracha (pode ter-se em vaso também), lírio da paz, gerbera, yucas etc. 

 

Antioxidantes 

Mesmo com todos os cuidados possíveis é normal produzirmos radicais livres. Então, o que faz parar o perigo de radicais livres em excesso? Antioxidantes. São moléculas que estão dispostas a dar um eletrão seu para que a célula volte a estar completa. 

Antioxidantes existem numa variadíssima gama de alimentos. Existem menos em alimentos provenientes de agriculturas em massa (produzem em número e não por qualidade) do que se formos nós a cultivá-los.  

A vitamina C, E, Betacarotenos, manganésio e selénio são exemplos de antioxidantes. Portanto comamos: 

 

 

Existem assim vários alimentos com este poder. Hoje em dia procuramos muito pelos ditos super alimentos, mas, todos os alimentos que a natureza dá são super. Vejo muita procura por ingredientes tropicais…enquanto que podemos ser gratos, dar valor e respeito aos ingredientes que temos. E não se esqueçam que um fruto vindo da américa já perdeu mais propriedades do que um apanhado em Portugal (tempo até ao consumidor importa). 

Por exemplo: 

Romã 

O açaí, fruto muito procurado e vindo do Brasil, é considerado um dos alimentos com mais número de antioxidantes e ele é bom! Nada contra o açaí, mas, a romã, fruto que se dá muito bem em Portugal também é um óptimo antioxidante. 

Eu cresci com muitas delas. Fez parte da minha infância e vida. Só este ano não consegui ir à casa da infância buscar. Elas são óptimas e o amargo das sementes cria uma magia especial. 

O seu poder antioxidativo é ótimo para diabéticos. E o porquê é espetacular. Apesar da romã saber doce, o seu açúcar está junto com os antioxidantes logo não é processado como um açúcar normal. Eles vão com o antioxidante ajudar as células. É uma fruta extremamente boa para o pâncreas e inibe o crescimento de células cancerígenas. Ótimo, não? 

Chamado de Polifenol, o grupo de antioxidantes presentes na romã também auxiliam os músculos, coração e fertilidade. Existe informação sobre o bem que a romã faz desde tempos antigos como o reinado da Somália. Os egípcios consideravam o seu sumo como um antidoto para ter um intestino saudável. 

“Seus lábios são como um fio escarlate, E sua fala é agradável. Como as metades de uma romã são as suas faces atrás do véu” – Rei Salomão 
 

Dica: Romã ajuda nos enjoos durante a gravidez
 

@Ana 

Gostava de saber sobre quem passa pelo blog. Se tem alguma questão ou só um Olá, não sejam tímidos 🙂 

  

Fontes: 

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5483704/pdf/jcdr-11-IE01.pdf 

https://draxe.com/fighting-free-radical-damage/ 

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2841576/ 

https://www.pomwonderful.com/history 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s