Começamos a achar normal ver nos rótulos dos alimentos os aditivos alimentares. Faz parte da alimentação talvez da maioria das pessoas e não há informação nas etiquetas do que são, e o que fazem ao nosso corpo. Acredito ser importante saber o que se come, se se deve evitar ou se está tudo bem.

 Podem apresentar-se como os famosos E’s ou pelo nome extenso. À um tempo atrás havia informação a passar que se tivesse mais que três E’s era muito mau, provocava cancro e outras doenças e penso que as marcas começaram a apostar no nome por extenso pois assim ninguém sabe se é ou não. E o que é?

 A definição internacionalmente aceite para aditivo alimentar é a seguinte:

” Toda a substância, tenho ou não valor nutritivo, que por si só não é um género alimentício nem ingrediente característico de um género alimentício, mas cuja adição intencional, com finalidade tecnológica ou organolética, em qualquer fase de obtenção, tratamento, acondicionamento, transporte ou armazenagem de um género alimentício, tem, como consequência, quer a sua incorporação nele ou a presença de um seu derivado, quer a modificação de características desse género alimentício.” [Family guide to alternative medicine – the reader’s digest association].

 Para que serve? Razões de segurança, melhorar aparência, prolongar a validade e conserva. Admitamos que são bons princípios e há aditivos naturais que são adicionados aos alimentos e o nosso corpo até conhece, mas há outros que não e que: 

 Sobre-carregam o fígado na função de desintoxicar o corpo

 Causam náuseas, dores de cabeça, e tonturas

Favorecem formação de tumores;

 Problemas de pele, asma (relativo aos benzoatos (E211-219));

 A lista continua para problemas até psicológicos.

 

liver
Imagem retirada do Livro eat, move and Be Healthy Paul chek representando o trabalho que o fígado tinham em 1900 vs 2001

 Não é, portanto, à toa que estamos no século em que mais se ouve falar de cancros, diabetes, hiperatividade infantil etc. Isto está no nosso dia-a-dia. Nas nossas casas. Há definições mal concebidas sobre os alimentos light, para que o alimento seja doce sem açúcar é adicionado aspartame, um adoçante artificial que é uma neurotoxina e que afeta a memória entre outras consequências. Alimentos com Aspartame, monossacarídeo glutamato (existe em alguns restaurantes de comida asiática por exemplo, neste caso perguntem), E124, E102, E221, E133, E320, E220 devem ser evitados.

 Enquanto pesquisava e estudava sobre este assunto descobri que no mundo das aplicações móveis existem aplicações para este assunto. Aplicações que podemos levar no nosso telemóvel quando vamos às compras e sermos responsáveis e conscientes. Parece muito útil e prático. Existem várias, é questão de procurar e ver a melhor para cada um. Na imagem seguinte podem ver um dos programas e podem ver um aditivo prejudicial e outro natural.

 

 Boas mudanças de hábitos, Ana*

 

Anúncios

2 comentários

  1. Pingback: Arquivo 2016

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.